Clipping

10/08/2010 | Vídeo Som & Tecnologia

Globo 2.0

A maior emissora de tv do Brasil deixou de produzir conteúdo apenas para transmissão em tv aberta. a meta agora éque o seu acervo produzido possa ser .cessado em portais de conteúdo.

O Painel Globo de Tecnologia 2010, realizado em São Paulo pela TV Globo para apresentar as novas tecnologias de transmissão empregadas em sua estrutura de produção, também serviu para esclarecer dúvidas sobre as tecnologias que a emissora deve colocar em prática no futuro, como: TV interativa, distribuição de conteúdo para TVs conectadas à internet (broadband TV) e programação em 3D. Os motivos que levam a maior emissora de TV aberta do Brasil a se preocupar com novas tecnologias estão ligados à fragmentação da audiência para outras mídias como a internet e a TV a cabo. Uma reportagem importante exibida no horário nobre, entrevistas e trechos de toda a programação podem ser conferidos com facilidade em portais de vídeo como o YouTube. São tantos os veículos onde o telespectador pode consumir conteúdo que a emissora simplesmente não tem mais controle sobre o material que ela mesma produziu. Para reter a concorrência e, consequentemente, a receita de publicidade, a emissora se vê obrigada a estar presente nestes novos "locais" de exibição. Assume, portanto, abandonar o posto de produtora de conteúdo exclusivo para ser transmitido pelo sinal de TV aberta (broadcast) para se tornar uma produtora convergente. Capaz de criar um tipo de programação que pode ser segmentada em para diferentes dispositivos e veículos. Ou seja, acaba se posicionando mais como "criadora de conteúdo" e menos como emissora de TV aberta. Conheça as tecnologias que devem chegar em breve a você: pela TV, internet, telefone e até pelo ônibus.

ID NA GLOBO
Aemis!o segundo Fernando processo e Globo de Engenharia, anos de maturação e exige um , a captação produção". De acordo,a**^o. engen extraa Pem 3D é mais complexa porque e durante a produção para que naona visão durante os cortes 50, mas sóinteressante porque existe desde os agora, com a e a d^ponibilizar programação em 3D.

UNIDADE MÓVEL HD-1
Projetado da pela equipe de engenharia da emissora ao custo de US$ 14 milhões, é o mais moderno centro de captação móvel em alta definição da América Latina. O veículo opera como uma central completa para processamento e transmissão de imagens para TV digital aberta. São 24 câmeras HD, quatro microcâmeras e dois microlinks para gravação em servidores. Utilizado para realizar a transmissão de jogos de futebol, shows e eventos externos.

INTERATIVIDADE
A TV Globo é a emissora que vem explorando melhor o recurso DTVi (antigo Ginga), mas que, por enquanto, ainda é visto pelas emissoras como uma tecnologia experimental. Para receber o conteúdo, o telespectador precisa de uma TV ou um conversor digital compatível com a tecnologia. Durante as partidas da Copa do Mundo 2010, o recurso foi utilizado para acessar informações como: tabelas, classificação, dados dos jogos e resultados das partidas. A emissora planeja desenvolver novos aplicativos para serem exibidos em novelas e programas de reality show. O conteúdo interativo transmitido pela emissora também pode ser acessado em celulares e smartphones compatíveis com a transmissão de TV digital no formatol seg. Neste caso, os dados interativos são transmitidos pela conexão móvel e um alerta avisa ao usuário sobre a possibilidade de haver custo no envio dos dados. Uma terceira forma de acessar ao conteúdo interativo da TV Globo foca em dispositivos externos como tablets e smartphones. Para a Copa do Mundo, a emissora disponibilizou um aplicativo gratuito para iPad, iPhone e iPod touch que ofereceu acesso em tempo real às estatísticas e trechos 1 em vídeo com os melhores momentos do campeonato.

TV RURAL
O projeto TV digital rural (TVDR) é direcionado ao público que vive em áreas rurais onde o sinal UHF da TV digital aberta não alcança. Ele funciona com um receptor especial para antena parabólica tradicional. Segundo a emissora, o equipamento é programado para funcionar só em áreas onde o sinal de TV digital terrestre não está disponível. Isso significa que o aparelho "trava" em cidades onde já existe TV digital aberta pelo ar. Além do sinal da TV Globo, o receptor também é capaz de sintonizar outras emissoras que estejam transmitindo seu sinal de TV digital pelo satélite Banda C (Star One 2). O serviço já está disponível em áreas rurais do interior do Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. O receptor é produzido pela empresa Thomson e custa, em média, R$ 600. A programação é aberta e gratuita, ou seja, não há mensalidade pelo serviço. Info» www.tvdigitalrural.com




Voltar